Osteoporose no homem

Osteoporose é a perda acelerada da massa óssea, fazendo com que os ossos fiquem fracos e com possibilidade de se quebrarem aos mínimos esforços. Uma característica importante do tecido ósseo é que ele se renova constantemente, através da matriz óssea composta por minerais com cálcio. Isso possibilita a regeneração de uma fratura. 

Portanto, a osteoporose é uma doença metabólica, sistêmica, que acomete todos os ossos, provocada pela diminuição da absorção de minerais e de cálcio, levando o organismo a deixar de formar material ósseo novo suficiente, ou reabsorvendo o  já existente. 

Geralmente essa condição está relacionada ao envelhecimento. É muito conhecida entre as mulheres, que habitualmente fazem sua prevenção, mas também acomete homens e entre eles, frequentemente ela é diagnosticada em estágios já avançados.

Essa doença além de estar associada a fraturas, que levam à diminuição da qualidade de vida também aumenta a  mortalidade desses pacientes. Estudos mostram que 25% das fraturas osteoporóticas ocorrem em homens. Entre os homens com mais de 50 anos de idade, 15% vão experimentar pelo menos uma fratura osteoporótica e cerca de 5% terão uma fratura de quadril. 

Ao contrário do que se pensa, a osteoporose é uma doença assintomática. As dores só ocorrem, em estágios avançados quando as fraturas já estão presentes.

Há vários fatores de risco relacionados à osteoporose, dentre eles: 

  • Idade avançada
  • História prévia e familiar de fratura
  • Tabagismo atual
  • Sedentarismo
  • Hipovitaminose D
  • Baixo índice de massa corpórea (IMC ≤ 19 kg/ m2)
  • Ingestão de álcool (> 2 doses/dia)
  • Uso crônico de corticóide 
  • Artrite reumatóide

 O exame padrão ouro para o diagnóstico de osteoporose é a densitometria óssea. As mulheres tem o hábito de realizar esse exame de rotina. Os homens, acima de 70 anos, mesmo assintomáticos, também devem fazer esse exame para avaliar se têm osteoporose; entre 50 a 69 anos de idade, devem ser avaliados somente se tiverem algum fator de risco para a doença. A história de fratura após os 50 anos também é uma indicação importante para a realização de densitometria óssea.

O diagnóstico precoce da osteoporose propicia que sejam tomadas medidas importantes para evitar a progressão da doença, além de se poder estimular cuidados a mais para evitar fraturas. 

Além da detecção precoce, através da densitometria óssea, algumas mudanças no estilo de vida podem ajudar a prevenir a perda de massa óssea.

Para a prevenção da osteoporose:

  • Prática regular de exercícios físicos
  • Dieta adequada (rica em cálcio, sem acesso de álcool e café)
  • Abandono do tabagismo
  • Reposição de vitamina D se necessário
  • Suspensão do uso de glicocorticoides ou drogas que possam determinar a perda de massa óssea em longo prazo 

A osteoporose é uma doença comum e associada a complicações graves. A prevenção e a detecção precoce fazem toda a diferença. 

 

Autor: Dra. Lorena Lima